Quarta-Feira
20 de Janeiro de 2021
Dia do Farmacêutico, Fundação da Cidade do Rio de Janeiro  
 
  O quê procura? 
Usuário:  
Senha:  
esqueceu os dados?
cadastre-se gratuitamente
Pensamento
do dia:
"O medo é sinal de covardia. É ele que nos dá possibilidade de agir com bravura e dignidade diante das situações da vida!"
(Paulo Coelho)
  Inicial
  A Cidade
  Turismo
  
  NOTÍCIAS
  CONCURSOS
  SAÚDE
  ESPORTES
  CANAL JURÍDICO
  DIÁRIO OFICIAL
  ATAS CÂMARA
  FALECIMENTOS
  AGENDA
  
  Classificados
  Empresas/Serviços
  
  Telefone/Operadora
  
  CEP - superCEP
  Colunistas
  Culinária
  Diversão & Lazer
  Pensamentos
  Piadas
  Telefones
  Torpedos





publicidade




publicidade




publicidade




publicidade




publicidade


Guia de
Empresas
e Serviços

cadastre
grátis

/ Notícias
Notícias
Projeto de lei que altera o Ensino Médio é alvo de críticas de educadores

EcoDebate
25 de Fevereiro de 2014

Entre outras propostas, PL 6.840, que tramita na Câmara, sugere que currículos do ensino médio sejam organizados por áreas do conhecimento. Educadores afirmam que isso fere princípios da Constituição e da LDB.

Um projeto de lei atualmente em tramitação no Congresso Nacional que propõe mudanças no ensino médio brasileiro vem levantando questionamentos de professores, pesquisadores e até da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC). Trata-se do PL 6.840/2013 , elaborado pela Comissão Especial destinada a promover Estudos e Proposições para a Reformulação do Ensino Médio (CEENSI) da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) e que tem como relator o deputado Wilson Filho (PTB-PB). Argumentando que o currículo atual do ensino médio é “ultrapassado, extremamente carregado, com excesso de conteúdos, formal, padronizado, com muitas disciplinas obrigatórias numa dinâmica que não reconhece as diferenças individuais e geográficas dos alunos”, o projeto propõe alterações na Lei 9.634/1996 , a Lei de Diretrizes e Bases da educação nacional (LDB).

A principal – e mais controversa – alteração proposta pelo projeto é a organização dos currículos do ensino médio por áreas do conhecimento. Pela proposta, os estudantes poderiam escolher, no terceiro do ano do ensino médio, entre diferentes opções formativas: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação profissional. “Assim, o aluno poderá optar pela formação que mais se adéqua às suas preferências e necessidades, possibilitando, inclusive, uma preparação mais adequada àqueles que pretendem ingressar na educação superior ou antecipar sua entrada no mercado de trabalho”, afirma a justificativa do projeto. Além disso, o projeto institui a jornada em tempo integral no ensino médio, aumentando de 800 para 1400 horas a carga horária mínima anual nessa etapa de formação, e elimina a possibilidade de menores de 18 anos cursarem o ensino médio no período noturno.

Para Marise Ramos, professora-pesquisadora da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) e da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), o projeto, caso aprovado, representaria um enorme retrocesso. “Isso representa um retorno à legislação da Reforma Capanema da década de 40, em que o ensino era dividido entre o clássico, o científico e o profissionalizante. Até hoje é possível encontrar pessoas que estudaram sob a égide dessa legislação que nunca estudaram química ou física, porque fizeram o percurso clássico, ou que nunca estudaram filosofia, sociologia ou mesmo história”, compara. Essa “fragmentação”, para Marise, refletia uma visão instrumental da educação e um enfoque na formação de mão de obra para o mercado de trabalho.

 Nesse aspecto, segundo ela, a LDB, de 1996, trouxe avanços, consagrando, em seu artigo 22, o entendimento de que a educação básica (da qual faz parte o ensino médio) tem a finalidade de assegurar ao educando “a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e no prosseguimento de estudos”. Essa concepção está inscrita também no artigo 205 da Constituição Federal, segundo o qual a educação deve visar “ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Em nota técnica sobre o PL 6.840, a Secretaria de Educação Básica do MEC afirma que o projeto fere as formulações inscritas na LDB e na Constituição, “pois o fato de ser obrigatório fazer alguma opção estabelece uma diferenciação formativa no ensino médio, portanto, na educação básica, que fere o princípio constitucional da igualdade de acesso aos bens culturais produzidos pela humanidade com vistas à formação integral de todo e cada cidadão”.

A nota técnica faz diversas objeções ao texto do projeto, e uma delas diz respeito à instituição da jornada em tempo integral, de 7 horas diárias, que é, segundo a nota, positiva em tese; na prática, no entanto, a medida acaba sendo prejudicial aos estudantes mais pobres. “Do ponto de vista da realidade socioeconômica da grande parte dos jovens brasileiros oriundos dos setores populares, representa uma forma de exclusão do Ensino Médio ministrado no período diurno, dado o fato de que tal parcela significativa da população jovem do país trabalha, seja para contribuir para a renda familiar, seja para suprir suas próprias necessidades. É, portanto, nesse contexto, medida discricionária, que institui um Ensino Médio diferenciado para uma população jovem com melhores condições de vida e relega, ainda mais, ao curso noturno os setores populares”, diz a nota.

O ensino médio noturno, pela proposta da Comissão Especial da Câmara, ficaria restrito aos maiores de 18 anos. A alteração sugerida pelo projeto à LDB gerou críticas da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped), que publicou uma petição na internet contra a aprovação do projeto. No texto da petição, a Anped afirma: “Dados do IBGE de 2011 informam que 31,5% dos jovens de 15 a 17 anos trabalham e estudam, estudam e procuram emprego ou só trabalham. Isso significa que acabar com o ensino noturno para essa faixa de idade é, de fato, excluí-la do sistema de ensino. Destinar o ensino médio noturno apenas à faixa etária dos 18 anos em diante significa duplicar uma política já existente, que é a EJA, ou em outros termos, a superposição de modalidades que cumprem a mesma atribuição”.

Especificamente na área da educação profissional, tanto a Anped quanto a Secretaria de Educação Básica do MEC entendem que a proposta em tramitação na Câmara traz problemas. Um deles é a inclusão da opção de formação profissional no último ano do ensino médio, que, para a Anped, “nega a existência da modalidade de Ensino Médio Integrado à Educação Técnico Profissional”.

Para Marise Ramos, o projeto enfatiza as formas concomitante e subsequente de educação profissional em detrimento da formação profissional integrada ao ensino médio . Para ela, isso sinaliza uma consonância do PL 6.840 com o direcionamento que as políticas de educação profissional têm tomado nos últimos anos, com a ampliação do número de vagas por meio de parcerias com a iniciativa privada, principalmente através do Pronatec (saiba mais no especial da EPSJV sobre o programa). Indício disso é o artigo 36-E do PL 6.840, onde se lê que a oferta de educação profissional “poderá ser feita em regime de parceria entre os entes federados e o setor produtivo, com vistas à ampliação das oportunidades educacionais”. Marise analisa: “Com essas alterações na LDB, fica fácil você fazer parcerias para que os estudantes cursem o terceiro ano no Sistema S ou outras instituições privadas. Suponhamos: você tem um aluno numa escola estadual que tem parceria com o Senai, por exemplo. Ele faz os primeiros dois anos na escola e no terceiro ano vai para o Senai. E aí como ele é aluno da escola pública, o Estado é quem vai subsidiar o Sistema S para fazer isso. Bom demais para quem ganha com isso, só não é bom para a classe trabalhadora, que acaba tendo sua formação reduzida somente às necessidades do mercado de trabalho”.

A EPSJV entrou em contato com a assessoria do deputado Wilson Filho, relator do projeto, para que ele respondesse às críticas apresentadas, mas até o prazo de fechamento da matéria não havia conseguido agendar uma entrevista com o parlamentar.

Por André Antunes – Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV)


publicidade
1
2
3
4
5
slide


:: Últimas Notícias
Prefeitura retoma manutenção das estradas rurais - Janeiro/2021
Pensando levar mais infraestrutura para os produtores rurais e moradores da zona rural, a Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, retomou os ...
Prefeitura segue com cronograma de limpeza e tapa-buracos - Janeiro/2021
A Secretaria Municipal de Serviços Públicos, deu início nesta semana, mais uma etapa do cronograma dos trabalhos de limpeza e roçagem, tapa-buracos, serviços ...
1ª Corrida Virtual do Circuito “Corre São Carlos 2021” abre inscrições a partir do dia 25
Estarão abertas a partir da próxima segunda-feira, dia 25 de janeiro, as inscrições para a 1ª Corrida VIRTUAL do Circuito “Corre São Carlos 2021”. ...
Plano de retorno às aulas na Rede Municipal prevê três propostas: remota, semipresencial e presencial
O vice-prefeito Edson Ferraz esteve reunido na manhã desta sexta-feira (15/01), com a secretária de Educação, Wanda Hoffmann, quando foi apresentado uma prévia do ...
Campanha Janeiro Roxo alerta sobre hanseníase
A Secretaria Municipal de Saúde de São Carlos, por meio do Centro de Atendimento de Infecções Crônicas “Ana Claudia Lucato Cianflone” (CAIC), deu ...
Presidente da Câmara Roselei e vereador Bira recebem empresário da moda country
O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, Roselei Françoso (MDB), e o vereador Ubirajara Teixeira – Bira (PSD) receberam na manhã desta sexta-feira (15) o ...
Vereadores Bruno Zancheta e Djalma Nery propõem Comissão de Segurança Pública na Câmara
Os vereadores Bruno Zancheta (PL) e Djalma Nery (PSOL) apresentaram na Câmara Municipal de São Carlos um projeto de resolução propondo a criação da ...
Zelão Domingues é reeleito presidente da ACISC
O empresário José Fernando Domingues foi reeleito presidente da ACISC (Associação Comercial e Industrial de São Carlos) para o triênio 2021-2023, durante ...
Pós-graduação em Engenharia Mecânica inscreve alunos especiais
De 27 de janeiro a 2 de fevereiro, o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica (PPGEMec) da UFSCar, sediado no Campus São Carlos, estará com ...
Projeto atende mulheres que passaram por cirurgia de câncer de mama
Uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGEnf) da UFSCar está convidando mulheres que já passaram por cirurgia de ...
Airton Garcia recebe visita do deputado Orlando Silva
O prefeito Airton Garcia, acompanhado do vice-prefeito Edson Ferraz, do chefe de gabinete da Prefeitura, José Pires (Carneirinho) e dos secretários municipais Mariel Olmo ...
TVE São Carlos vai transmitir “aulões” ao vivo para o ENEM
A TV Educativa de São Carlos, em parceria com a TV Brasil, transmitirá nos dias 14, 16, 21 e 23 de janeiro, entre 14h e 18h, os aulões preparatórios do ENEM. A iniciativa ...
Comunicado SAAE - 14/01/2021
O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Carlos - SAAE - comunica que está realizando nesta momento trabalhos de manutenção corretiva na bomba do ...
Departamento de fiscalização apresenta nova notificação ao proprietário do terreno do lagoa serena
Após os novos incidentes que ocorreram na última terça-feira (12/01) no bairro Lagoa Serena devido às fortes chuvas, e por uma solicitação do ...
Vereador Bruno Zancheta sugere locais de imunização para a COVID 19
O vereador Bruno Zancheta (PL) protocolou um ofício ao presidente do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus, Mateus de Aquino, sugerindo dois locais alternativos para a ...
Valor exato ACISC - 14 de janeiro de 2021
Uma onda de investimento no sistema bancário está ocorrendo desde que entrou em vigor o sistema de Pagamentos Instantâneo brasileiro – PIX. O sistema permite que recursos ...
Atenção Associado: Informe sobre o reajuste no Plano de Saúde - Janeiro/2021
Informamos que, em atendimento ao determinado no Comunicado nº 85, de 31 de agosto de 2020, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), os reajustes referentes aos planos de ...
Engenharia de Produção do Campus Sorocaba recebe inscrição para mestrado
O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP-So) do Campus Sorocaba da UFSCar está com inscrições abertas, até o dia 29 ...
Pesquisa avalia aprendizagem e memória em pessoas com e sem depressão
O Laboratório de Estudos do Comportamento Humano (LECH) da UFSCar convida pessoas voluntárias para participar da pesquisa intitulada "Avaliando o estabelecimento e a ...
UFSCar oferta especialização em Ciência de Dados
A UFSCar está com inscrições abertas para curso de especialização em Ciência de Dados. O curso é oferecido em uma parceria entre os departamentos de ...
pesquisar notícias + MAIS NOTÍCIAS


Relação de Feriados e Pontos Facultativos
:: Eventos/Agenda
:: Mais lidas
» Publicidade





 
 

indique nosso site

adicione em seu Favoritos

defina como sua página inicial

| QUEM SOMOS | PUBLICIDADE | FALE CONOSCO | PRIVACIDADE | REGRAS |

| BLACK FRIDAY PROMOÇÕES | DIA DO CONSUMIDOR PROMOÇÕES | CYBER MONDAY PROMOÇÕES |
| BOXING DAY PROMOÇÕES | BLACK DECEMBER PROMOÇÕES |
| GERADOR DE CUPONS |

São Carlos Oficial é um serviço desenvolvido e oferecido por StrZero Soluções Digitais.

Copyright© 2021 - StrZero Soluções Digitais.
Todos direitos reservados. All rights reserved.