Sábado
16 de Outubro de 2021
Dia Mundial da Alimentação. Dia da Ciência  
 
  O quê procura? 
Usuário:  
Senha:  
esqueceu os dados?
cadastre-se gratuitamente
Pensamento
do dia:
"A coisa mais bonita que podemos experimentar é o mistério. Ele é a fonte de toda a verdadeira arte e da ciência!"
(Albert Einstein)
  Inicial
  A Cidade
  Turismo
  
  NOTÍCIAS
  CONCURSOS
  SAÚDE
  ESPORTES
  CANAL JURÍDICO
  DIÁRIO OFICIAL
  ATAS CÂMARA
  FALECIMENTOS
  AGENDA
  
  Classificados
  Empresas/Serviços
  
  Telefone/Operadora
  
  CEP - superCEP
  Colunistas
  Culinária
  Diversão & Lazer
  Pensamentos
  Piadas
  Telefones
  Torpedos





publicidade




publicidade




publicidade




publicidade




publicidade


Guia de
Empresas
e Serviços

cadastre
grátis

/ Notícias
Notícias
Relatório mostra vulnerabilidade das cidades brasileiras frente às mudanças climáticas
PBMC divulga documento inédito; no contexto das alterações do clima, as cidades são parte do problema e, ao mesmo tempo, o foco das soluções

EcoDebate
3 de Novembro de 2016

O Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) divulgará, durante a COP22, no Marrocos, um relatório inédito mostrando os impactos que o Brasil sofrerá por causa das mudanças climáticas e os poucos esforços para a mitigação desses efeitos sobre o meio ambiente. Entre as previsões do documento está a diminuição da potabilidade da água, o aumento do consumo de energia, um maior risco para as áreas urbanas causadas por catástrofes naturais, além do aumento de doenças e, consequentemente, um inchaço do sistema de saúde. O relatório, que será apresentado entre os dias 7 e 18 de novembro, em Marrakesh, traz ainda novas estratégias na criação de soluções necessárias para que o país consiga se adaptar às mudanças climáticas.

Cidades brasileiras não estão preparadas

Segundo estimativas da UN-Habitat – Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos – o Brasil terá 90% de sua população vivendo em áreas urbanas até 2020. Isto significa a criação massiva de infraestrutura urbana com elevado consumo de energia. Dessa forma, pequenos, médios e grandes centros urbanos assumem o protagonismo no combate às intempéries do clima, sendo responsáveis pelo consumo de 70% da energia disponível e por 40% das emissões de gases de efeito estufa. É importante notar que este aumento se dará em quase sua totalidade nos países em desenvolvimento. Dependendo de como a política para o planejamento urbano for implementada, este aspecto poderá tanto ser positivo com modelos de urbanização modernos e sustentáveis ou negativo, com a continuidade do crescimento caótico das cidades dos países mais pobres.

Diante desse cenário, é possível avaliar que poucas cidades brasileiras têm políticas direcionadas para sustentabilidade, e precisam se apressar para se adaptarem às mudanças já sentidas pelos fenômenos climáticos, como aumento de temperatura e nível do mar, ilhas de calor, inundações, escassez de água e alimentos, acidificação dos oceanos e eventos extremos. Como exemplo, o relatório aponta a deficiência e vulnerabilidade das cidades, as situações de emergência e de calamidade pública decorrentes dos desastres naturais.

Para a cientista Suzana Kahn, presidente do Comitê Científico do PBMC, durante anos, o foco mundial em resposta às mudanças climáticas tem sido em torno dos estados nacionais, o que não vem gerando acordos globais satisfatórios ou medidas eficazes de adaptação. Algumas prefeituras já iniciaram a elaboração de inventários de emissões de gases de efeito estufa e assumiram um protagonismo no debate sobreo que pode ser feito para garantir que a qualidade de vida da população não seja sofra impactos com a intensificação dos desastres naturais. No entanto, a pesquisadora lembra que o desafio do aquecimento global é apenas uma das diversas questões na agenda local das cidades. 

– Os governos também são confrontados entre as prioridades atuais e os riscos a longo prazo, sendo essa situação agravada pelas incertezas que podem envolver o cronograma e a gravidade dos impactos relacionados com o clima em uma cidade. É necessário se preparar, pois os problemas causados no âmbito global acontecerão de forma local.

Confira abaixo as principais conclusões do relatório:

Cidades devem sofrer problemas em relação à potabilidade da água
A elevação das temperaturas tem impactado os recursos hídricos. A intensificação dos períodos de secas e as modificações nos regimes de chuvas poderão influenciar a quantidade e a qualidade dos recursos hídricos disponíveis para o abastecimento das cidades. Por outro lado, o relatório mostra que o grande volume de chuva em curto espaço de tempo pode aumentar problemas de vazão, alagamentos e enchentes. O resultado desses eventos é que, como a contaminação fica mais concentrada nos rios, a sujeira é levada para fontes potáveis quando ocorrem chuvas intensas

O descaso das cidades com a qualidade da água de seus rios também é responsável pela escassez em muitos lugares. As situações de maior déficit ocorrem no Semiárido Nordestino e o nível de chuvas no Nordeste poderá diminuir cerca de 22% até 2100.

Problemas de abastecimento também devem estar na agenda das cidades. Um diagnóstico da situação de 5.565 municípios brasileiros sobre a disponibilidade hídrica, demanda urbana e capacidade de produção de água preocupa. Cerca de 55% e 35% das capitais e conglomerados foram classificados como “requer novo manancial” ou “requer novo sistema de produção”, respectivamente. Com aumento de 28% na demanda média do abastecimento urbano de água entre 2005 e 2025, as cidades precisarão investir algo em torno de R$ 22 bilhões para dar aos sistemas de produção a capacidade de 60 metros cúbicos de água por segundo a cada década.

Consumo de energia deve subir 8% acima do projetado para 2030

A geração de energia sofrerá consequências com as alterações do clima. Em 2015, 75,5% da energia elétrica gerada no Brasil foi de origem renovável, sendo 64% hidrelétricas, 8% biomassa, 3,5% eólica e 0,01% solar. A mudança do clima e alterações no regime de chuvas podem provocar menor vazão nas bacias brasileiras. Na região Nordeste, a queda na vazão do rio São Francisco pode chegar a registrar reduções de 24,6% e consequente diminuição de 7% na produção de energia hidráulica. No território nacional, estima-se redução entre 1% a 2,2% na produção de energia hidráulica. Caso as alterações climáticas ganhem as proporções esperadas, haverá perdas na capacidade de geração de energia. 

No caso da energia solar, eólica e biomassa, temperaturas extremas podem impactar desde os padrões dos ventos até o surgimento de mais nuvens, afetando todo o processo de geração de energia. Até o final do século, o potencial eólico no país pode cair até 60% devido à redução na ocorrência de ventos superiores a seis metros por segundo, velocidade mínima necessária para geração eólica. Nas usinas térmicas, a maior vulnerabilidade está na redução de água disponível para resfriamentos das máquinas, levando à queda de produtividade.

Edificações devem sofrer graves danos

Os domicílios brasileiros apresentam grande variação quanto à vulnerabilidade: edificações construídas com materiais inadequados, localizados em áreas de declive, sujeitas à inundações e em encostas estão mais vulneráveis que domicílios em boas condições, situados em áreas não expostas a determinados riscos.

Entre 2008 e 2012, 37,1% dos municípios brasileiros foram atingidos por alagamentos, enquanto que 895 registraram desabamentos no mesmo período. As regiões Sudeste (45,2%) e Sul (43,5%) foram as mais atingidas por alagamentos, com destaques para os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Santa Catarina. Já a região Nordeste lidera os eventos de deslizamentos e desabamentos, sendo responsável por 50,06%, enquanto que o Sudeste aparece em segundo lugar, com 45,32% dos incidentes. Nessas regiões, destacam-se os estados de Pernambuco, com 5.910 ocorrências; São Paulo, com 4.981 eventos e Rio de Janeiro, com 4.969 incidentes. 

A resistência da infraestrutura urbana também preocupa. Ainda que eventos extremos como furacões sejam raros, o material utilizado na construção civil ainda é sensível às alterações climáticas, que podem causar sérios danos à estrutura das edificações. Para superar esses desafios, é necessário efetividade nas políticas públicas e investimentos e incentivos no setor.

Alterações climáticas devem sobrecarregar o sistema de saúde

Os eventos climáticos não impactam apenas o meio ambiente. Considerando o aumento de 25% no regime de chuvas na região sudeste da América do Sul, cidades situadas no Sul do país poderão registrar crescimento de doenças. O aumento de inundações e secas causará efeito devastador sobre a saúde, especialmente nas pessoas que vivem em comunidades mais sensíveis. Com esse cenário, doenças como malária e dengue, mais incidentes nos países de clima tropical, são alguns dos problemas de saúde pública decorrentes do aquecimento global. As intensas ondas de calor também podem ter impacto nas doenças crônicas, como problemas cardiovasculares. 

Estratégias de adaptação precisam de parceria entre esferas de governo e setor privado

A elaboração das medidas de adaptação e mitigação considerou diversos setores, como recursos hídricos, gestão de risco aos desastres naturais, infraestrutura, indústria, zonas costeiras, saúde, entre outros. Todos os esforços têm como ênfase o cenário nacional, embora o relatório ressalte a necessidade de gestores municipais e do setor privado assumirem as diretrizes para adaptação em nível local. O país possui uma variedade de características ambientais, climáticas e geográficas. Dessa forma, como os municípios brasileiros têm níveis diferentes de desenvolvimento social, urbano e econômico, é necessário conciliar essas diferenças para que as ações de mitigação tenham o resultado pretendido.

Colaboração de Pedro Henrique Sant’Anna, in EcoDebate, 03/11/2016


publicidade
1
2
3
4
5
slide


:: Últimas Notícias
Primeiro caso de COVID-19 é detectado em Escola Municipal de São Carlos
O Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais de São Carlos (SINDSPAM) foi comunicado nesta sexta-feira (03) que na primeira semana do retorno das aulas ...
Radar da Av. Bruno Ruggiero Filho entra em operação nesta segunda-feira (30/08)
A Secretaria Municipal de Transporte e Transito, informa que a partir da próxima Segunda feira (30), entrara em operação o Radar Fixo localizado na Avenida Bruno Rugiero Filho, ...
Prefeitura e DRS-III se mobilizam para aumentar número de leitos de UTI para casos não Covid
À medida em que a vacinação contra a COVID-19 avança em São Carlos e na região, a taxa de ocupação dos leitos de UTI destinados ao tratamento ...
Unidade de Saúde da Família de Água Vermelha é ampliada - Agosto/2021
A Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria de Obras Públicas, finalizou a ampliação da Unidade de Saúde da Família (USF) do distrito de Água ...
Parque Ecológico de São Carlos vai ser reaberto ao público a partir de 1º de Setembro/2021
O Parque Ecológico de São Carlos “Dr. Antônio Teixeira Vianna comunica que a partir do próximo dia 1º de setembro vai estar novamente com os portões ...
Pandemia: PROCON São Carlos esclarece sobre cancelamentos ou adiamentos de eventos
A pandemia pegou todos de surpresa, especialmente no ramo de serviços de buffet e eventos. Alguns consumidores tiveram suas festas canceladas e fornecedores se viram obrigados a não ...
Animais resgatados em araraquara serão encaminhados para o parque ecológico de São Carlos
Na manhã desta segunda-feira (19/04) foi assinado um convênio entre a Secretaria de Serviços Públicos de São Carlos e a Secretaria de Meio Ambiente e ...
Atendendo pedido da Comissão da Pessoa com Deficiência, Prefeitura cede servidores a Secretaria
A Comissão de Direitos da Pessoa com Deficiência da Câmara Municipal de São Carlos informou que, atendendo ao pedido de sua autoria protocolado em 1º de fevereiro, a ...
Comércio de São Carlos estará aberto no feriado
O Sindicato do Comércio Varejista de São Carlos e Região (Sincomercio) e o Sindicato dos Empregados do Comércio de São Carlos e Região ...
Grupo da UFSCar-Sorocaba lança guias para processos seletivos online
A transformação digital e a nova realidade instaurada pela pandemia de Covid-19 trouxeram muitas mudanças ao mercado de trabalho, desde os processos seletivos online até ...
Educação de surdos é tema de encontro online
A educação de surdos tem ganhado novos contornos desde às conquistas legais que garantem uma prática de ensino com foco na Língua Brasileira de Sinais (Libras). ...
Atuação de fisioterapeutas em UTIs é tema de pesquisa da UFSCar
Uma pesquisa desenvolvida no curso de graduação em Fisioterapia da UFSCar pretende fazer um levantamento a respeito da assistência fisioterapêutica dentro das Unidades de ...
Pesquisa investiga uso de mídias digitais na Educação Ambiental
Avaliar como as mídias digitais podem ser usadas nas estratégias de Educação Ambiental para a conservação de espécies, principalmente aquelas menos ...
Polícia Militar repassa alimentos para a campanha “Vacina Contra a Fome”
O comandante do 38º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPM/I), Tenente Coronel Otávio Augusto de Lima Seminate, repassou na tarde desta segunda para vice-prefeito ...
Vereador Elton se posiciona contra modalidade EAD no curso de medicina da UFSCar
O vereador Elton Carvalho (Republicanos), em conjunto com os alunos do curso de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), se posicionou a favor do retorno dos estágios ...
Roselei solicita prioridade na vacinação de estudantes indígenas da UFSCar
O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, Roselei Françoso (MDB), solicitou empenho da Secretaria Municipal de Saúde nesta terça-feira (13) para proceder a ...
SINDSPAM convoca Guardas Municipais para assembleia no dia 20 de abril
A diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Autárquicos Municipais de São Carlos e Dourado (SINDSPAM, está convocando para o próximo dia 20 de abril todos (as) ...
Alunos da UFSCar chegam à final nacional do desafio da L’Oréal
Uma equipe formada por alunos da UFSCar foi uma das finalistas da fase nacional do L?Oréal Brandstorm 2021, um jogo de negócios voltado para o desenvolvimento de ideias inovadoras e ...
Comunicado SAAE 12/04/2021
O Serviço Autônomo de Água e Esgoto - SAAE comunica que de acordo com o Decreto Municipal nº 183 de 09 de abril de 2021, o atendimento presencial será retomado apenas ...
Cidadania e Assistência Social recebem novos equipamentos de informática
A Secretaria de Cidadania e Assistência Social recebeu nesta segunda-feira (12/04), 79 novos computadores, 58 tablets, 16 projetores e 26 impressoras para a renovação dos ...
pesquisar notícias + MAIS NOTÍCIAS


Relação de Feriados e Pontos Facultativos
:: Eventos/Agenda
:: Mais lidas
» Publicidade





 
 

indique nosso site

adicione em seu Favoritos

defina como sua página inicial

| QUEM SOMOS | PUBLICIDADE | FALE CONOSCO | PRIVACIDADE | REGRAS |

| BLACK FRIDAY PROMOÇÕES | DIA DO CONSUMIDOR PROMOÇÕES | CYBER MONDAY PROMOÇÕES |
| BOXING DAY PROMOÇÕES | BLACK DECEMBER PROMOÇÕES |
| GERADOR DE CUPONS |

São Carlos Oficial é um serviço desenvolvido e oferecido por StrZero Soluções Digitais.

Copyright© 2021 - StrZero Soluções Digitais.
Todos direitos reservados. All rights reserved.